Helena ou Santa Helena, era uma grega nativa da cidade de Drepana e esposa do Imperador Romano Constantius Chlorus, que reinou nos anos de 293 a 306, é a mãe de Constantino I, o grande, que foi o primeiro Imperador Romano Cristão da história. Ela é classificada como uma das figuras mais importantes do cristianismo primitivo por causa da influência que tinha sobre seu filho.Também é associado a ela, a fundação dos Jardins do Vaticano, e as reformas da Igrejas “Church of the Nativity” e “ Church of Eleona”, locais de nascimento e ascensão de Cristo.

Drepana teve seu nome modificado por Constantino para homenagear sua mãe, tornando-se assim a cidade de Helenopolis. Suas terras hoje são correspondentes ao Vilarejo Hersek, na Turquia. Existe uma corrente histórica que conta que Constantino alterou o nome da cidade porque aquela era o berço do nascimento de sua mãe, mas não temos nenhuma comprovação sobre tal fato.



Helena de Constantinopla é considerada uma Santa por algumas igrejas Ortodoxas, Anglicanas e Luteranas e sua maior característica retratada é a piedade. Na Igreja Ortodoxa Cristã seu dia de festa é celebrado em 21 de maio, na Igreja Católica Romana é celebrado no dia 18 de agosto.

Helena é a padroeira das descobertas, pois é dado a ela os créditos da descoberta da “Cruz Verdadeira”. De acordo com historiadores pós-nicenos como Sócrates de Constantinopla , a imperatriz Helena viajou para a Terra Santa em 326-28, fundando igrejas e estabelecendo agências de socorro para os pobres. Os historiadores Gelasius de Cesaréia e Rufinus alegaram que ela descobriu o esconderijo de três cruzes que se acreditava serem usadas na crucificação de Jesus e de dois ladrões, São Dismas e Gestas , executados com ele, e que um milagre revelou qual dos Três eram a Cruz Verdadeira.

Não só a cruz verdadeira, Helena é supostamente responsável pela descoberta de várias outras relíquias como a Túnica sagrada e pedaços da corda com que Jesus foi amarrado em sua crucificação.

Sua relação com a Numismática é bem interessante, algumas moedas com sua efigie são compartilhadas com a efigie de Constantino, seu filho. Na antiguidade podemos citar 3 moedas em bronze cunhadas entre 325 e 340. Em tempos atuais temos duas, a primeira de 500 Lei da Romênia e a segunda de 100 Leva da Bulgária.

Moeda em ouro cunhada na Bulgária no ano de 2013, pesa cerca de 8.64 gramas de ouro .999 e tem 24mm de diâmetro, apenas 2000 unidades dessa moeda foi cunhada e seu valor de mercado ultrapassa a marca de R$3.500,00.

Moeda de 500 Lei cunhada em ouro da melhor qualidade, pesa cerca de 31g de ouro e tem aproximadamente 25mm de diâmetro. São apenas 250 exemplares cunhados na Roménia e seu valor de mercado pode passar da soma de R$13.000,00.

Essas moedas em bronze, cunhadas a centenas de anos atrás são verdadeiras preciosidades, seus valores de mercado, geralmente dados em euros, ultrapassam a marca dos R$600,00, sua raridade se dá principalmente pela rápida venda que esses exemplares possuem quando postos no mercado. Esses exemplares são bastantes valorizados no mercado europeu.

Sempre associada ao cristianismo primitivo, moedas com a efigie de Helena são especialmente valorizadas no mercado numismático Europeu, mas todas que já foram cunhadas com sua face possuem um alto valor de mercado e uma boa aceitação também, e você sabia que você tem a oportunidade de levar uma dessas para sua coleção particular?

A Loja Conatus Moedas, afiliada da Numismática Castro, está com um desses exemplares a venda em território nacional, com um preço acessível para uma moeda que vai valorizar e muito sua coleção, CLIQUE AQUI para ver essa oferta.




André Luiz Padilha

Graduado em direito com especialidade em meios alternativos de soluções de conflito e atualmente é estudante de História. Colecionador de moedas desde 1997 e numismata desde 2011. É um ativo divulgador da numismática nacional publicando diversos artigos e estudos por dezenas de plataformas, presta serviços como avaliador e consultor em pelo menos 9 países, também é o fundador da Numismática Castro, do CNERJ e do canal Café e Numismática. É sócio da American Numismatic Association (ANA)

2 comentários

felipe · 10 de julho de 2017 às 12:26

Gostei muito do que li aqui no seu site.Estou estudando o assunto,Mas quero agradecer por que seu texto foi muito valido. Obrigado 🙂

    André Luiz Padilha · 10 de julho de 2017 às 17:12

    Agradecemos sua visita Felipe, volte sempre! Mensalmente voltamos ao assunto da Iconografia Religiosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.