Mint Error Struck on Brazil 10C

Por mais que em alguns casos muitos esqueçam isso, numismática é uma ciência. Em paralelo a isso temos vários casos que explicamos de forma científica e outros casos que não conseguimos reunir informações suficientes ou confiáveis para que tenhamos uma explicação razoável, hoje falaremos deste segundo caso.
Recentemente no grupo de Whatsapp da Rocha Numismática, administrado pelo meu amigo Felipe Rocha, um dos membros colocou uma imagem de uma moeda que chamou não só a minha atenção como a de todos os membros do grupo, estou falando da imagem a seguir:

 

Trata-se de uma moeda de Half Dollar dos Estados Unidos cunhada em cima de um disco de uma moeda de 10 centavos do Brasil, sendo esta da segunda família pelo seu tamanho e coloração. Levantamos até que tal certificação seria falsa dado o absurdo que esta cunhagem representa, mas como sempre tentamos verificar todos os dados que chegam até o Portal Numismáticos, segue aqui a confirmação de autenticidade da moeda através do banco de dados da NGC: https://www.ngccoin.de/certlookup/6323075-005/65/

Assim, dado o conhecimento e a veracidade da certificação NGC podemos perguntar, como tal moeda pode ser feita? Não sabemos.



Contudo, podemos especular algumas possibilidades sobre a cunhagem desta peça, ao qual dividiremos nos seguintes tópicos:

 

1 – Por mais que nem eu acredite muito nessa situação, podemos falar que é uma peça cunhada fora da USA Mint. Novamente, nem eu acredito nessa teoria mas estou levantando para que possamos conversar sobre o assunto e assim quanto mais possibilidades levantarmos, mas conseguiremos chegar um “parecer razoável”. Então qual o fundamento para levantarmos essa possibilidade? Bom, não há nesta a peça a data de cunhagem da moeda americana, ou seja, não podemos falar se é um cunho novo ou cunho antigo, assim poderíamos cogitar que foi um cunho antigo que saiu da USA Mint e utilizado externamente. Contudo, novamente não acredito muito nessa possibilidade ante a qualidade da peça resultante.

 

2 – Puramente uma falsificação? Outra opção que descarto por aqui, a NGC pode errar em vários outros casos como já vimos em peças brasileiras, contudo, em moedas americanas eles realmente fazem um bom trabalho, assim, se a moeda está certificada ponho fé que a mesma é autêntica.

 

3 – A Casa da Moeda do Brasil encomendando moedas brasileiras na USA Mint? Essa opção, com certeza, explicaria o motivo de um disco liso de uma moeda de 10 centavos estar dentro da USA Mint. Temos casos recentes de encomendas externas do Banco Central para reposição da moeda local, por exemplo, os casos das moedas de 50 centavos, 5 centavos e também da cédula de 2 reais não produzidas no Brasil. Por mais de uma vez, em encontros e bate-papos numismáticos, ouvi o “burburinho” de que a moeda de 1 Real de Direitos Humanos não foi produzida aqui no Brasil, visto a sua excelente qualidade e praticamente nulidade de peças como esta com qualquer tipo de erro numismático, em todos esses anos de numismática só vi uma única moeda de Direitos Humanos com erro de cunhagem e era um muito simples, uma rotação de cunho. Contudo, não acredito muito nessa possibilidade também, a Casa da Moeda tem qualidade suficiente para cunhar suas próprias moedas e não acredito que passaria despercebido de toda comunidade numismática uma “parceria” como essa.

 

4 – A USA Mint fornecendo discos lisos para a Casa da Moeda do Brasil. Acredito que esta é a possibilidade mas coerente de levarmos adiante. Sabemos que a CMB não produz seus próprios discos lisos, podemos ver por exemplo, algumas variações da borda da moeda de 50 centavos, como é a única no Brasil que tem inscrições, conseguimos através dela perceber que há, pelo menos, uns três fornecedores desses discos.
De onde vem os discos lisos? A casa da moeda classifica qualquer coisa relacionada a ela como “assunto de segurança nacional” o que dificulta muito que tenhamos acesso a informações públicas sobre o seu trabalho, em alguns casos até quando a ouvidoria da CMB nos responde, anexa no corpo do e-mail uma proibição na replicação das informações fornecidas. Então, como não sabemos como é feito o fornecimento desses discos não podemos afirmar que são produzidos somente aqui no Brasil, validando assim a teoria de que um dos fornecedores de discos seria a USA Mint, justificando a presença de um disco liso de uma moeda brasileira em circulação dentro da USA Mint.



Apenas para conhecimento, a Casa da Moeda do Brasil já comprou discos da USA Mint antes, temos registros de 207.636.018 discos de 5.52g comprados para cunhagem das moedas de 10 Centavos de 1967 a 1970, também de 198.613.248 discos de 7.86g para cunhagem das moedas de 20 Centavos de 1967 a 1970. Ambos produzidos e entregues pela Casa da Moeda dos Estados Unidos de Denver.

Agora dadas essas opções só conseguimos mostrar razoabilidade na presença do disco liso dentro da USA Mint, mas não como um disco desse poderia ter entrado dentro do processo de cunhagem regular da Casa da moeda americana. Chegamos em um ponto onde teríamos outras centenas de teorias e esse texto que foi feito pra ser sucinto ficaria quilométrico, então não vamos adentrar no mérito de como esse disco liso chegou a ser cunhado no processo fabril da USA Mint.

Antes de concluir, gostaria de levantar um quinto tópico que poderia simplesmente encerrar o caso, mas que não teria a mesma magia. Ainda assim precisamos levar em consideração que pode não ser o disco de uma moeda de 10 centavos do Brasil, que apesar da moeda ser autêntica, a NGC pode ter errado na identificação da peça base visto que a NGC não tem a mesma expertise para moedas brasileiras.

Para encerrar, é importante falar sobre algo recente e que pode também ajudar a “diagnosticar” o que aconteceu. Dos últimos anos pra cá, acredito que nos últimos 5 anos, encontramos na comunidade numismática vários pequenos e isolados casos de moedas “fantásticas” sendo produzidas dentro da USA Mint e saindo para venda no mercado colecionista, como é o caso da moeda cunhada em cima de um prego e também certificada pela NGC, outros casos de moedas cunhadas sobre discos errados também podem ser notados nesses últimos tempos, por mais que alguns desses erros sejam viáveis lembramos sempre do dito popular de que “quando há fumaça, há fogo”, então pode sim ser um caso de corrupção dentro da USA Mint, mas, não vamos apontar o dedo ou acusar ninguém aqui, apenas especulamos para que um diálogo seja construído e assim, quem sabe, resolver esse mistério da numismática.

E aí, como você acha que essa peça fantástica foi cunhada? Deixe sua opinião e nos ajude a construir uma numismática mais rica de conhecimento!

 

Atualização 1: Antes mesmo de publicar o texto, ainda capturando as imagens da moeda no banco de dados da NGC, por um erro de digitação encontrei as duas seguintes moedas:

Trata-se do mesmo erro, contudo cunhado em uma moeda de Taiwan, outro cunhado sob o disco de uma moeda de 1 dólar e por fim a mesma peça cunhada sobre o disco de 25 cents, acredito que essas duas peças, principalmente a cunhada sobre 5 Cents de Taiwan ajudam bastante a corroborar a versão sobre moedas fantásticas feitas de forma proposital dentro da USA Mint.



Para citar este texto:

PADILHA, André Luiz de Castro. Mint Error Struck on Brazil 10C. Portal Numismáticos – Numismática Castro, Março 2022 Disponível em: <https://numismaticos.com.br/mint-error-struck-on-brazil-10c/>.

 

André Luiz Padilha

Graduado em direito com especialidade em meios alternativos de soluções de conflito e atualmente é estudante de História. Colecionador de moedas desde 1997 e numismata desde 2011. É um ativo divulgador da numismática nacional publicando diversos artigos e estudos por dezenas de plataformas, presta serviços como avaliador e consultor em pelo menos 9 países, também é o fundador da Numismática Castro, do CNERJ e do canal Café e Numismática. É sócio da American Numismatic Association (ANA)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.