É muito comum confundir uma medalha com uma moeda. Neste texto, você poderá encontrar as principais diferenças entre cada uma.

A importância das moedas para um país é tão grande que existem regras rígidas para projetá-las, produzi-las e regular sua circulação. Além de sua função econômica, cada moeda é um símbolo de identidade nacional que se expressa principalmente nas imagens que nelas aparecem. É muito frequente a confusão entre as palavras moeda e medalha. Isto porque entre os povos antigos não havia distinção entre uma e outra, ora valendo como elementos de troca ou como peças artísticas e comemorativas, principalmente entre os gregos e os romanos, vem daí a razão de serem empregadas indiferentemente as palavras medalha ou moeda para a sua denominação.



Estudar ao longo do tempo a evolução das moedas e medalhas de um país é descobrir a história de ambos, e isso é o papel da numismática, ciência que tem por objetivo o estudo sob o ponto de vista histórico, artístico e econômico das cédulas, moedas e medalhas; muito embora o termo também seja empregado como sinônimo ao colecionismo desses itens.

No Brasil, o Banco Central (BACEN) é o órgão federal responsável pela emissão, distribuição e controle do meio circulante. Ele é quem define as características e especificações das cédulas e moedas.
Atualmente, as moedas em seus anversos ostentam a legenda “BRASIL” e em geral, imagens que representam os mais importantes valores, personagens e episódios históricos do país, e no reverso a denominação de seu valor, o ano de cunhagem. Além das características citadas, as moedas também são peças que multiplicadas uniformemente em grande número, com um valor preciso, real ou fictício, com
determinados tipos, peso e título, servem de meio universal de troca em relação a todos os outros valores.

Enquanto que, as medalhas são peças produzidas exatamente como as moedas, mas não cumprem as funções básicas que observamos antes. Portanto, as medalhas não podem possuir valor monetário e usar as denominações centavos ou real. Elas são, em vez disso, símbolos de união entre aqueles que as compartilham, quer para lembrar de uma data, evento ou personagem, ou seja, são destinadas a um fim premiativo, comemorativo, religioso ou artístico. E por isso, qualquer um que queira pode cunhá-las, elegendo livremente as imagens que nelas aparecerão, o que permite que seus desenhos sejam mais audaciosos que nas moedas, onde a ideia é que todos nos vejamos representados.

 

Texto por Ramenn Witkowski

Texto adaptado “Diferencias entre Monedas y Medallas” https://www.gob.mx/cmm/articulos/monedas-y-medallas?idiom=es
Questões Pedagógicas, Noções de Numismática – Álvaro da Veiga Coimbra




André Luiz Padilha

Graduado em direito com especialidade em meios alternativos de soluções de conflito e atualmente é estudante de História. Colecionador de moedas desde 1997 e numismata desde 2011. É um ativo divulgador da numismática nacional publicando diversos artigos e estudos por dezenas de plataformas, presta serviços como avaliador e consultor em pelo menos 9 países, também é o fundador da Numismática Castro, do CNERJ e do canal Café e Numismática. É sócio da American Numismatic Association (ANA)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.